O Foral do Porto. 1517-2017. Marca de um Rei, Imagem de uma Cidade
14-06-2017
Exposição

A comemoração dos 500 anos do Foral Manuelino do Porto é assinalada pelo Município do Porto através de uma exposição, organizada em dois núcleos, um no Arquivo Histórico Municipal do Porto (Casa do Infante), que abrirá ao público a 11 de junho, e outro nos Paços do Concelho, patente a partir de 20 de junho.

O núcleo central da exposição decorrerá na Casa do Infante e desenvolve-se em torno de quatro eixos temáticos:

1. O Foral e o Porto: símbolo, marca e identidade

2. O Foral e o Porto: rei, lei, poder(es)

3. O Porto do século XVI e o seu Termo: espaço, centralidade e funcionalidade

4. O Foral Manuelino do Porto: arte, técnica, comunicação

 

A importância do Foral do Porto de 1517

Integrado na ampla reforma dos forais manuelinos, o Foral do Porto de 1517 representa a forte articulação que existia entre o Rei, o Bispo e o Concelho.

Desde o séc. XII, altura em que a rainha D. Teresa doou a cidade ao bispo D. Hugo, o Porto adquiriu o estatuto de cidade episcopal, razão pela qual o Foral de 1517 incorpora essa doação, reconhecendo ao passado uma função legitimadora.

O Foral de 1517 define a relação da Monarquia com a Concelho, abordando assuntos sobretudo de natureza económica, fiscal e jurisdicional. A partir do séc. XIX, altura em que a dimensão administrativa dos forais foi extinta, estes documentos converteram-se em elementos históricos e portadores de identidade cultural, circunstâncias que contribuíram para a sua apropriação simbólica e preservação ao longo de 500 anos.


O contexto em que se insere o foral reflete-se na identidade da cidade e no seu património edificado. O roteiro histórico pelo Porto do século XVI, proposto no núcleo expositivo dos Paços do Concelho, convida o visitante a fazer um itinerário pela cidade, descobrindo 16 pontos chave, assinalados numa estrutura evocativa de um repositório de memórias. O Porto do século XXI assume e incorpora esta herança patrimonial e cultural, mantendo viva a sua dimensão simbólica.

 

Casa do Infante

terça a domingo: 9h30-12h30  / 14h00-17h00

Encerra aos feriados


Paços do Concelho

segunda a sexta: 9h00-17h00