Um Objeto e seus Discursos lê a história que só vai acabar com o fim do mundo
A conversa semanal do ciclo Um Objeto e seus Discursos por Semana vai, ao final da tarde deste sábado, recordar a "História do Futuro" escrita pelo Padre António Vieira.

A obra constitui uma mensagem profética, anunciando - no século XVII - que caberia a Portugal a liderança do mundo civilizado no mitológico Quinto Império, um império cristão que sucederia aos quatro célebres predomínios da Antiguidade: assírio, persa, grego e romano.

Considerada a primeira narrativa utópica escrita em português, a "História do Futuro" foi publicada postumamente em Lisboa em 1718, sendo apenas um fragmento inacabado.

A partir das 18 horas deste sábado, nas instalações dos Waat Studios (Rua do Dr. Eduardo Santos Silva, 261), um estúdio de fotografia apetrechado com enorme ciclorama branco (um fundo fixo que transmite a ideia de infinito), vamos conhecer ou recordar este relato do mundo: "A história mais antiga começa no princípio do Mundo; a mais estendida e continuada acaba nos tempos em que foi escrita. Esta nossa começa no tempo em que se escreve, continua por toda a duração do Mundo e acaba com o fim dele. Mede os tempos vindouros antes de virem, conta os sucessos futuros antes de sucederem, e descreve feitos heróicos e famosos, antes de a fama os publicar e de serem feitos".

A antropóloga, professora e artista visual Catarina Patrício e o grande especialista na obra vieiriana José Eduardo Franco serão os condutores nesta viagem ao futuro, tendo como anfitriã a diretora municipal de Cultura, Mónica Guerreiro.

O espaço tem uma lotação de 100 lugares.

Conheça melhor o ciclo municipal Um Objeto e seus Discursos por Semana.