<span>Visitas Virtuais</span>
Assembleia Municipal Extraordinária rejeitou propostas do BE e CDU

A Assembleia Municipal Extraordinária, ontem à noite realizada, rejeitou todas as propostas do BE e da CDU sobre o tema que a motivou: um terreno pertencente, desde 2001, à família do presidente da Câmara. O BE queria uma comissão de inquérito e BE e CDU queriam um caminho jurídico diferente para que a Câmara apure as incongruências de registo do terreno, mas os deputados não aprovaram.


À Assembleia Municipal foi disponibilizado durante meses todos o processo, mas ontem, durante toda a noite, não foi exibido qualquer indício de que o presidente da Câmara tenha influenciado decisões e muito menos foi demonstrado que a sua família esteja beneficiada. Ao contrário, mostrou-se que o terreno que em 2001 tinha capacidade construtiva deixou de ter e a situação não foi revertida com a sua tomada de posse. A Assembleia, que foi pedida pelo próprio Grupo Municipal Independente de Rui Moreira e pelo BE, rejeitou, assim, todas as propostas apresentadas.


Rui Moreira deu assim por encerrada uma questão que atribuiu a uma campanha "suja", pré-anunciada na imprensa por uma candidatura.




Quanto ao PS, disse não haver razão para por em causa a "probidade" de Rui Moreira e o PSD lembrou que a questão vem do anterior mandato e não foi produzida neste.