<span>Visitas Virtuais</span>
Comerciantes do Bolhão terão ótimas condições no espaço comercial que será preparado no CC La Vie

A Câmara do Porto reuniu já com todos os comerciantes do interior do Mercado do Bolhão, acerca da mudança temporária para o Centro Comercial La Vie, enquanto as obras decorrerem no edifício, o que apenas acontecerá depois do primeiro trimestre de 2017. Ao contrário do posto a circular por uma associação, que diz representar parte dos vendedores, é totalmente falso que o mercado temporário se vá situar no piso -3 daquele espaço comercial.


Pelo contrário, o local que albergará o mercado temporário ficará com acesso direto a partir do exterior, como é já do conhecimento público, situando-se em zonas do edifício sempre usadas e licenciadas para a instalação de comércio.


O Gabinete do Mercado do Bolhão, encarregue dos procedimentos referentes à histórica recuperação do edifício, esclareceu já todos os comerciantes atualmente a operar no interior do edifício das condições da mudança, tendo ficado "muito satisfeito" com o acolhimento dos vendedores. Segue-se uma ronda de reuniões com os comerciantes do exterior do mercado.


Apesar das tentativas de desinformação que tem vindo a ser feitas acerca da mudança temporária e até da utilização de factos e número falsos nas redes sociais e em notícias postas a circular sobre o mercado temporário e definitivo, a verdade é que, após as reuniões agora realizadas, o Gabinete do Mercado do Bolhão classifica como "muito positiva" a recetividade geral dos comerciantes e está confiante no sucesso da solução.


Recorde-se que a Câmara do Porto iniciou dia 1 de agosto as obras no subsolo da Rua de Sá da Bandeira que permitirão a realização, em 2017 e até 2019, de obras profundas de restauro e modernização do mercado, ansiadas pela cidade há mais de 30 anos. Esta intervenção permitirá aos comerciantes atuais regressarem ao mercado, que será, como sempre foi afirmado, um mercado de frescos tradicional com gestão municipal, que não irá descaracterizar nem o edifício do ponto de vista arquitetónico nem a sua função de sempre.


A mudança temporária para um espaço comercial do Centro Comercial La Vie, com uma área aproximada de 5.700 metros quadrados, com estacionamento próprio e acesso a partir da mesma estação de Metro que servirá, no futuro, o Mercado do Bolhão reabilitado foi considerada a melhor opção. Das soluções alternativas (parques de estacionamento do Silo-Auto e Trindade ou quarteirão do Casa Forte, abandonada por não haver coincidência de datas de reabilitação e por não conseguir albergar em boas condições todos os comerciantes) o Centro Comercial La Vie foi, de longe, considerada a melhor, quer do ponto de vista comercial quer do ponto de vista do conforto para os comerciantes e clientes.


No espaço comercial, repete-se, acessível diretamente do exterior e interior do Centro Comercial, serão montadas bancas modernas e em condições de operação adequadas a qualquer das atividades licenciadas para comércio no atual Mercado do Bolhão, estando ainda garantida a devida promoção e comunicação para captar clientela que possibilite a subsistência dos comerciantes. A sua permanência no mercado durante a reabilitação foi considerada impossível, por acarretar riscos impossíveis de assumir, por prejudicar gravemente os prazos da obra e por colocar em causa a própria atividade comercial do mercado e a subsistência dos comerciantes.


Veja a reportagem da apresentação do projeto durante a reunião pública ocorrida a 27 de julho.