<span>Visitas Virtuais</span>
Taxis motivam comunicado

Por sua iniciativa, o presidente e a vereadora mobilidade da Câmara Municipal do Porto reuniram hoje com ANTRAL, Federação Portuguesa de Taxis, Associação de Defesa e Segurança de Motoristas de Taxis do Porto, Radiotaxis e Taxis Invicta, considerando ser oportuno referir o seguinte:

 

A Câmara Municipal do Porto mostra-se preocupada pelo risco de poder estar a ocorrer na cidade a informalização de uma actividade que é atualmente regulada - os táxis são licenciados e fiscalizados pela Câmara Municipal do Porto ou pelo IMT - já que poderá estar em causa a utilização de veículos e motoristas que não estejam devidamente legalizados.

 

Esta informalização é má para a economia e para as contas públicas e perigosa para os clientes que são transportados.


A desregulação acabará, no final, por ser paga pelos cidadãos, de uma forma ou de outra.

 

O Município do Porto não se opõe a que haja centrais de reservas, aplicações móveis - que até já existem há algum tempo no Porto - ou outra qualquer atividade que mobilize a operacionalidade de recurso existentes e licenciados, desde que cumpram as regras e os tarifários impostos por Lei.

 

A Câmara Municipal do Porto lembra ainda que aos táxis e motoristas licenciados e a operar legalmente na cidade do Porto são, há muito, exigidas condições de segurança e tarifários que cumprem, tendo agora sido impedidos de transportar doentes, mesmo considerados doentes não graves.