<span>Visitas Virtuais</span>
Rui Moreira lembrou ontem a Assembleia Municipal ter sido o único a não fazer campanha no Bolhão

No dia em que recebeu elogios de toda a oposição na Assembleia Municipal a propósito do Bolhão, Rui Moreira lembrou que nunca "foi aos banhos de multidão em campanha no mercado". PSD, CDU, BE, PS e Independentes saudaram as decisões da Câmara a propósito dos direitos que os vendedores mantêm e a proposta levada a Assembleia foi aprovada sem votos contra.


A Assembleia Municipal do Porto, realizada ontem à noite, mostrou que há um enorme consenso em torno da proposta de indemnização dos comerciantes que não pretendem continuar. Ao mesmo tempo, a autarquia liderada por Rui Moreira garante que 74 dos 97 vendedores do terrado do Mercado do Bolhão vão continuar quando o edifício estiver reabilitado. Os comerciantes podem poder transmitir o direito aos filhos, ficando também garantido que o mercado continuará a ser um local de venda de produtos frescos, com administração municipal.


A decisão de ratificar os acordos assinados com os comerciantes foi hoje aprovada, com 39 votos a favor, 7 abstenções e nenhum contra na Assembleia Municipal. Antes, em reunião de Câmara, a mesma proposta tinha sido aprovada com 12 votos a favor e apenas a abstenção do vereador da CDU.



Na sessão de ontem à noite, na Assembleia, todos os partidos disseram estar de acordo com o modelo desenvolvido por Rui Moreira. A CDU disse mesmo não ter dúvidas que o processo de reabilitação é mesmo irreversível e criticou o anterior executivo por não ter sido capaz.


Já Rui Moreira lembrou que nunca fez demagogia com o mercado e com a reabilitação do mercado e que foi o único político que não fez campanha no local.


As obras no exterior do mercado já começaram no subsolo, permitindo a intervenção posterior no mercado, que no próximo verão verá os seus vendedores serem transferidos para o Centro Comercial La Vie e as obras de recuperação do edifício terem inicio, após quase quatro década de espera.