Economia e Emprego

No objetivo Economia e Emprego, um dos vetores centrais do orçamento municipal, não pelo montante expresso em termos orçamentais mas por constituir um dos grandes eixos estratégicos para a Cidade, foram considerados os programas Mercator e o Dinamismo económico onde foram executados 1,6 milhões de euros.


No âmbito do Programa Mercator, e através da GO Porto, EM, foi concluída a empreitada relativa ao Mercado Temporário do Bolhão e o Concurso da empreitada para o Restauro e Modernização do Mercado do Bolhão. Ainda através desta empresa municipal deu-se início à contratação dos serviços relacionados com a gestão operacional do espaço mencionado, e da sua promoção.


No domínio do Dinamismo económico e do desenvolvimento económico a questão da atração de investimento, continuou a ser a pedra central da atuação do Município por forma a criar as condições para o fortalecimento do ecossistema empresarial na cidade e de um ambiente de negócios competitivo ao nível nacional, europeu e mesmo global. Tal será um fator fundamental para a sustentabilidade da nova dinâmica económica que se vive na cidade do Porto, capaz de captar investimento estruturante e promover a criação de emprego qualificado.


No âmbito da atividade de atração de investimento, foram realizados 202 atendimentos a potenciais investidores, tendo sido apoiados 143 projetos de investimento, dos quais 90 contactaram pela primeira vez a Invest-Porto em 2017. É notório o aumento substancial da atratividade da cidade, principalmente em atividades baseadas no conhecimento e com elevado potencial de crescimento.


Mais de metade dos projetos apoiados (55%) são de âmbito internacional, com destaque para o setor das TICE e Imobiliário. Verifica-se uma tendência para o aumento de projetos nas áreas de Consultoria, Centros de Serviços Partilhados, Saúde, Energia, Ambiente e Mobilidade. A percentagem de projetos internacionais cresceu ligeiramente entre 2016 e 2017 (de 52% para 55%), sendo os principais países de origem a França, os Estados Unidos da América, o Reino Unido e a Alemanha. Muito relevante é o aumento da diversidade dos países de origem dos investidores, provenientes de 24 países distintos, refletindo o crescente interesse por parte de empresas sediadas nas mais diversas latitudes.


Do total de projetos de investimento captados em 2017, foram instalados 18 novos projetos e 108 estão em fase de implementação ou negociação, contribuindo para a atração de empresas nos diversos setores, sobretudo em atividades que potenciam o crescimento do PIB da região, as exportações e a criação de emprego. Os projetos de investimento que estão a ser atraídos para a cidade, de diferentes tipos de promotores, e em diferentes fases de desenvolvimento, contemplam desde a criação de novas empresas, até empresas que pretendem iniciar uma nova fase de investimento ou expandir para uma nova unidade.
No decurso de 2017, os serviços direcionados ao investidor visaram responder às necessidades identificadas, com destaque para (i) o apoio à localização empresarial através da Porto Business Location Platform (PBLP), que permitiu a apresentação de 578 propostas de localização a potenciais investidores, destacando-se novamente o setor das TICE e o Imobiliário, através da identificação de espaços disponíveis para comercialização na cidade do Porto, com base em critérios e requisitos definidos pelo investidor, bem como as características por tipologia de espaço e outras variáveis como acessibilidades e transportes disponíveis, realçando-se o crescimento da procura de escritórios de maior dimensão, entre os 2.000 e os 10.000m2, e de espaços mais modernos e flexíveis, tecnologicamente avançados e adaptáveis às novas formas de trabalho. A qualidade da oferta tem-se revelado decisiva na opção de localização por parte de grandes empresas; (ii) o aconselhamento e a disponibilização de informação à medida das necessidades dos investidores; (iii) o apoio ao processo de licenciamento de atividades económicas, através do serviço de Via Verde de apoio ao investidor, com vista à eliminação de custos de contexto e à agilização de procedimentos tendentes à instalação de empresas; (iv) a identificação de talento (recursos humanos) e de mecanismos de apoio à contratação, ação concertada com as principais instituições de ensino superior e centros de I&D da cidade e com o Instituto de Emprego e Formação Profissional, mais especificamente, no domínio dos mecanismos de apoio à contratação; e (v) a identificação de incentivos locais, nacionais e internacionais, designadamente na procura de fontes de financiamento direcionadas para o apoio e dinamização do investimento.


No âmbito da promoção e reconhecimento internacional do Porto como destino favorável à atração de investimento e ao acolhimento internacional, destaca-se a participação do Município em iniciativas de networking, eventos e missões internacionais que contribuíram para que atualmente o Porto seja reconhecido como uma cidade mais competitiva, mais integrada na economia global e melhor posicionada no radar de grandes operações de investimento internacional. Destaca-se a participação em 9 missões internacionais e a organização e participação em mais de 77 iniciativas de networking e eventos, 49% das quais direcionadas à captação de investimento internacional.


Ainda neste domínio, salienta-se a participação no conjunto de ações desenvolvidas no âmbito da preparação e acompanhamento da candidatura da cidade do Porto à relocalização da Agência Europeia do Medicamento (EMA), que contou com o envolvimento ativo do Município do Porto e dos vários agentes da cidade. O conjunto de iniciativas desenvolvidas, contribuíram para colocar o Porto no radar do investimento internacional, contribuindo para a sua afirmação como Cidade Europeia de referência para a localização de entidades empresariais de excelência a nível europeu e mundial.


A promoção institucional da cidade como destino de investimento nos canais digitais foi reforçada em 2017, com o lançamento do website investporto.pt e com o reforço da presença assídua nas redes sociais.  


Destaca-se ainda a participação ativa do Município no Projeto In Focus do programa europeu URBACT, que visa desenvolver um plano de ação para a especialização inteligente nas cidades, em articulação com a região, num processo de participação de atores relevantes, de coprodução e corealização das ações. Nas 5 reuniões do Grupo de Ação Local em 2017, foram debatidos vários temas chave do projeto: a gestão de talento, o marketing e branding territorial, os novos espaços de trabalho em ambiente urbano, o Porto Innovation District, e Campanhã/Matadouro. Os contributos servirão de base ao desenvolvimento do plano de ação local integrado. O Município participou ainda nos workshops internacionais do projeto, em Bucareste, Turim, e Bordéus, tendo em vista a troca de experiências com outras cidades europeias e a aprendizagem mútua.


Reconheceu-se o Talento como um impulsionador económico relevante, um ativo potencializador de atração de investimento e de fixação de empresas, tendo sido desenvolvido e apresentado o estudo Mapa de Talento Porto Norte, cujo principal enfoque incidiu no mapeamento da procura e da oferta de talento da cidade e da região. Esta aposta do Município permitiu avaliar as competências mais procuradas e os recursos disponíveis, nomeadamente, estudantes de ensino superior, desempregados, estrangeiros, expatriados, academias e requalificação, entre outros.


Ainda no domínio do Talento, cimentou-se a participação da cidade do Porto, através do Município, na Parceria Europeia Jobs and Skills in the Local Economy, no âmbito da Agenda Urbana da EU, e iniciou-se uma parceria que envolve autoridades urbanas, autoridades governamentais e outros organismos juntamente com atores locais na definição de políticas europeias com relevância urbana, coordenando e interagindo os diferentes setores em abordagens integradas e sustentáveis de desenvolvimento urbano, com vista a promover uma melhor regulação, melhor financiamento, melhor conhecimento e inovação. Uma parceria com uma abordagem bottom up em que o Município do Porto, enquanto autoridade urbana, procura dar resposta aos desafios das cidades, propondo medidas a nível europeu com impacto local que promovam o reconhecimento da inovação urbana através da partilha de conhecimento entre cidades e da implementação de boas práticas desenvolvidas.


No âmbito do comércio, cujo objetivo visa concretizar um programa de comércio e serviços que incentive o interesse do investimento nacional e internacional e que motive todos os comerciantes residentes a inovar na oferta dos seus produtos, foram desenvolvidas diversas iniciativas dirigidas à revitalização sustentável do comércio da cidade.


Após o sucesso do projeto-piloto de Formação e Consultoria para Comerciantes, implementado em 2016, deu-se continuidade à realização de ações de formação gratuitas com o objetivo de sensibilizar, informar, capacitar e potenciar o comércio, face às exigências do setor. Os comerciantes contribuíram ativamente para a escolha e definição dos temas que queriam ver desenvolvidos, de acordo com as suas reais necessidades, tendo sido implementadas 20 ações de formação, com 388 participantes nas mais diversas áreas e uma avaliação global superior a 93%.


Com o objetivo de orientar, apoiar e reforçar o conhecimento do comerciante para promover e potenciar o seu negócio, foi disponibilizado um serviço de consultoria gratuita, Check-up do seu negócio, nas áreas de Vitrinismo, Atendimento ao Público, Fidelização do Cliente e Gestão de Negócio. Com este projeto-piloto, apoiaram-se os agentes do comércio local em três fases, a de diagnóstico, a de consultoria in loco com a aplicação de planos de ação concretos, e a de definição de uma metodologia de intervenção e um plano estratégico para o futuro. A Consultoria de Negócio foi realizada a 20 estabelecimentos comerciais das mais diversas áreas.


Neste domínio, iniciou-se o desenvolvimento de uma plataforma web e aplicação móvel que irá permitir ao Município, ao cidadão nacional ou estrangeiro obter uma caracterização diária e atualizada do comércio na cidade do Porto e, ainda, que o comerciante, através do seu registo, possa dar visibilidade ao seu negócio, apresentando e promovendo o seu espaço comercial.


Em 2017, e com o apoio da Associação dos Comerciantes do Porto, realizou-se o I Seminário Internacional do Comércio, subintitulado Os Novos Desafios, com a participação de 125 comerciantes da cidade e 36 entidades de referência no setor.


Reconhecendo a importância de salvaguardar o comércio local e tradicional com interesse histórico, que, pela sua atividade e património material ou imaterial, constituam uma relevante referência cultural ou social para a cidade, foi iniciado, em 2016, o projeto Porto de Tradição junto de 83 estabelecimentos comerciais. Na sequência do trabalho desenvolvido, foram identificados 37 estabelecimentos que reuniam os critérios para serem reconhecidos como estabelecimentos de interesse histórico e cultural ou social local.


Na esteira do que o Município do Porto vinha já defendendo, foi publicada a Lei n.º 42/2017, 14 de junho, que estabelece o regime de reconhecimento e proteção de estabelecimentos e entidades de interesse histórico e cultural ou social local, ao abrigo da qual foram reconhecidos e protegidos 40 estabelecimentos comerciais e estavam em fase de consulta pública mais 9. Ainda neste âmbito, o Município começou a desenvolver uma proposta de regulamento do Porto de Tradição que irá permitir a consagração de outras medidas de apoio e proteção, para além das consagradas neste diploma.


Para promover as manifestações artísticas, estimular o espírito criativo e premiar a iniciativa dos comerciantes, em 2017, realizou-se a segunda edição do concurso de montras de Natal, e ainda os concursos de montras de primavera e de comércio em ação, que contaram, respetivamente, com a participação de 157, 117 e 35 estabelecimentos comerciais.


Para dar visibilidade e destaque ao comércio local e tradicional da cidade foi produzido material promocional temático para cada época do ano, que teve como ponto de partida a marca Porto., iniciativa em que participaram 948 estabelecimentos comercias.


Com o objetivo de promover algumas zonas comerciais da cidade e de tornar o comércio de rua mais apelativo, foi implementado o projeto Lojas na Rua que contou com ações de animação de rua e procurou diferenciar a forma como o comerciante capta a atenção e o interesse do público. Com o apoio de profissionais especializados na área do vitrinismo foi realizada uma transposição apelativa do estabelecimento comercial para o exterior, promovendo os produtos e serviços dos estabelecimentos que aderiram ao projeto. Em 2017 foram realizadas duas edições das Lojas na Rua, sendo uma nas ruas 31 de janeiro, Clérigos e Carmelitas e outra nas ruas Mouzinho da Silveira, Largo de S. Domingos e Rua Ferreira Borges, com a adesão de 102 estabelecimentos comerciais.


Ainda no sentido de promover as raízes da Cidade ao nível da gastronomia e divulgar a marca Porto., lançou-se a edição em inglês do livro Eating à la Porto que revisita as receitas tradicionais do Porto, algumas delas aos olhos dos chefes emergentes e com um toque de modernidade.