Turismo

No Turismo através do programa Intensificar e impulsionar o turismo foram executados 1,3 milhões euros.


Em 2017, o Município continuou a assumir um papel regulador, dinamizador, agregador e facilitador no funcionamento do setor do Turismo na cidade, com especial enfoque nas questões da sustentabilidade, acessibilidades, criatividade, e projeção da marca Porto.


No âmbito da Porto Film Commission, para apoio às filmagens de produções cinematográficas e audiovisuais, em articulação com entidades públicas, privadas e serviços municipais, deu-se resposta a 159 pedidos relativos a 12 categorias de produção audiovisual, longas e curtas metragens, filmes promocionais e institucionais, spots publicitários, documentários, programas de TV, reportagens, vídeos, sessões fotográficas, trabalhos académicos e de informação, com destaque para a produção audiovisual nacional.


Em articulação com o Departamento Municipal de Educação e com o Gabinete de Juventude, assumiu particular relevância, ao longo de 2017, o Projeto Turismo Ajuda. Pela sua especificidade foi selecionado, pelo Município de Lisboa, como uma boa prática, para apresentação de uma comunicação oral, no âmbito do Encontro de Quadros promovido pela Edilidade e em que participaram municípios e empresas municipais de todo o país. Foram envolvidas 35 entidades e efetuadas 33 ações que envolveram 27 lares de infância e juventude e 5 projetos de intervenção social, com uma participação de 678 crianças e jovens com carências socioeconómicas e adultos com deficiência, com objetivos estratégicos bem definidos.


À semelhança do ano anterior, deu-se continuidade ao projeto Street Food que envolve diferentes serviços municipais com o objetivo de viabilizar esta nova forma de comércio de proximidade numa perspetiva de um conceito ready to eat, em dispositivos móveis e amovíveis, colocados em locais públicos, numa tónica de inovação e design.


À semelhança dos anos anteriores, manteve-se o contrato com a Associação de Turismo do Porto (ATP) para prestação dos serviços de acolhimento e comercialização nos postos de turismo e Ipoints oficiais do Porto e no portal oficial de turismo do Porto de modo a defender o papel dinamizador, agregador e facilitador do funcionamento do sector turístico do destino Porto e da sua região, e também fornecer dados para monitorizar, acompanhar a evolução do perfil e do comportamento do mercado turístico posicionando o Município e a cidade do Porto como líder da região no domínio da estratégia, conhecimento e agente de mudança.


Com o objetivo de descentralizar os fluxos turísticos do centro histórico de modo a aliviar a pressão turística nesta zona, foi elaborada uma proposta para a concretização de uma funcionalidade móvel com 100 Pontos de Interesse, fora do Centro, e passível de ser operacionalizada  pela ATP em 2018. Pretende-se, acima de tudo, que o turista/visitante parta à (re)descoberta de  outras zonas da cidade  permitindo o usufruto do património histórico-cultural e a sua autenticidade.


Através da ATP foi iniciado o projeto Embaixadores do Porto, com o propósito de identificar personalidades da cidade que possam promover a marca Porto nas mais variadas vertentes, em termos internacionais, nomeadamente em eventos de grande notoriedade internacional, de forma a contribuir para a continuidade do Porto como um destino turístico de eleição e com um maior número de visitantes.


Ainda em articulação com a ATP, foi assegurada a representação do Município do Porto na Assembleia Geral das Great Wine Capitals, que teve lugar em novembro, no Chile.


Manteve-se a articulação com entidades externas, nomeadamente com a Entidade Regional do Turismo do Porto e Norte de Portugal e Eixo Atlântico na revisão de conteúdos para diversos materiais promocionais, assumindo particular destaque as brochuras: City Breaks, Museus, Enoturismo, Jardins e Parques de Lazer, Agenda Desportiva e Agenda Cultural.


Destaca-se a Taxa Municipal Turística do Porto cuja necessidade de aplicação resultou da análise de indicadores relativos ao crescimento expressivo da atividade turística na cidade do Porto e da necessidade de mitigação da pegada turística, designadamente, do aumento da pressão nos equipamentos públicos, nas infraestruturas, na via pública e no espaço urbano em geral, com o objetivo de se assegurar que a cidade continue a manter a chancela de um destino de referência sustentável. Em 2017, foi aprovado o Regulamento da Taxa Municipal Turística, de 2 euros por dormida e por pessoa, até ao máximo de 14 euros (7 noites seguidas de estadia/pessoa), com entrada em vigor em 1 de março de 2018.


A tendência positiva no crescimento do movimento turístico no Porto e consequentemente no dinamismo económico local e regional é visível pelo aumento da afluência aos Postos de Turismo, que atingiu os 545.126 visitantes e corresponde a um crescimento de 6% face ao ano anterior, pelo aumento para 39.275 turistas atendidos nos diversos canais de acolhimento não presencial, a que corresponde um aumento de cerca 9,5%, pelos 714.257 acessos ao Portal de Turismo, em mais de 2,2 milhões de páginas visualizadas, e também pela taxa de satisfação dos turistas no atendimento não presencial que atingiu os 92%.


Abasteceu-se ainda o setor do turismo com 943.360 mapas turísticos oficiais e a comercialização nos postos de turismo do Porto Card foi superior a 490 mil euros, mais 33% que no ano anterior. No âmbito do projeto Vamos Receber à Moda do Porto, formaram-se mais de 196 futuros profissionais de turismo, realizaram-se 287 ações de acolhimento, apoiaram-se 49.982 pessoas com material turístico e 266 congressos e eventos profissionais, inseriram-se 2.681 conteúdos no Portal de Turismo, produziram-se 1.642.477 exemplares de material de informação e promoção turística e editaram-se 8 novos suportes de informação e divulgação turística.


Manteve-se a Presidência da Direção da Associação de Turismo do Porto.