Economia e Desenvolvimento Social
No objetivo Economia e Desenvolvimento Social, um dos vetores centrais do orçamento municipal, não pelo montante expresso em termos orçamentais mas por constituir um dos grandes eixos estratégicos para a Cidade, foram considerados os programas Mercator, Dinamismo económico e Desenvolvimento social, onde foram executados 6,2 milhões de euros.

No âmbito do Programa Mercator, e através da GO Porto, EM continuou em curso a empreitada de Restauro e Modernização do Mercado do Bolhão, com uma execução de cerca de 5,5 milhões de euros, em 2019. Foi iniciada a empreitada referente ao Túnel de ligação da rua Ateneu Comercial do Porto à rua Alexandre Braga.

Ainda sob a alçada desta empresa municipal manteve-se a gestão, exploração e rentabilização do Mercado Temporário do Bolhão (MTB), que abriu as suas portas ao público a 2 de maio de 2018, albergando os 64 comerciantes e 9 inquilinos do antigo Mercado do Bolhão, e tendo, durante o ano 2019, registado 1.969.537 entradas, uma taxa de ocupação média de 97% e uma taxa de cobrança da faturação de 98,5%.

No que se refere à gestão operacional do Mercado Temporário do Bolhão, foi efetuada a consolidação do serviço de âmbito operacional e arranque da sua otimização, bem como o estabelecimento de outras atividades, relacionadas não só com o fomento de negócio dos comerciantes e inquilinos, como também de preparação do futuro Mercado do Bolhão. Destaca-se o desenvolvimento do Sistema de Gestão da Qualidade segundo a noma NP EN ISO 9001:2015; a monitorização permanente de condições de ambiente ao nível de temperatura, CO2 e humidade, de forma a permitir uma correta e adequada relação conforto/eficiência; o estabelecimento de medidas de racionalização de consumo de eletricidade, água e gás das partes comuns e zonas respeitantes a comerciantes, com a inerente monitorização e controlo; a atuação no circuito de gestão de resíduos, de forma a permitir o seu controlo e adequação de acordo com as práticas legais, bem como o próprio fomento da reciclagem e sua valorização; a sistematização do envio mensal do relatório de gestão operacional; o estabelecimento de sessões de formação com comerciantes e inquilinos; a melhoria de sinalética informativa e promocional; a preparação e arranque de atividade de venda de merchandising - sacos de compras; e a preparação e arranque de atividade relacionada com campanha de brindes.

No âmbito da promoção deste Mercado Temporário destacaram-se os eventos Sábados no Mercado (Chef no Bolhão, Sábados em família, Bolhão em festa, Sábados à conversa e Torneio de xadrez), Saber, Sabor e Tradição (Pão de Ló de Ovar e Fogaça da Feira) e Conversas no Mercado, Projeto europeu True - Percursos de Transição para Sistemas de Produção Sustentáveis Baseados nas Leguminosas na Europa, Projeto nacional: Carapau é boa onda, Rastreio cardiovascular, aniversário do Mercado Temporário do Bolhão, Dia Mundial da Música, Dia Mundial da Saúde Mental, Dia Mundial da Alimentação e do Pão e Porto Sem Diabetes, Showcookings (Refeições Vegetarianas, Lanches Rápidos e Saudáveis, Receitas Sem Glúten e Receitas Saudáveis para o Natal); a gestão e promoção de Cascata Comunitária de São João 2019; a participação em eventos externos, nomeadamente, Nos Primavera Sound, Mega Limpeza de Praia - Sea Life Porto e Live Well Party Arraial de Santos Populares - Holmes Place; e a participação no primeiro Congresso Internacional de Gastronomia em Portugal - Melting Gastronomy Summit.

Ainda no âmbito da promoção dinamizou-se o website e as redes sociais, enviaram-se newsletters (Dia de São Valentim e Primavera, Páscoa, Aniversário MTB "O Artista do Bolhão", São João, Merchandising, Verão, Outono, Agenda de Novembro, Advento do Bolhão, Agenda de Dezembro, Boas Festas e Bom Ano) e promoveram-se spots sonoros institucionais e comerciais no Mercado. Realizaram-se também campanhas diversas com realce para as campanhas especiais de Verão, do Dia de São Valentim, do Dia do Pai, das Colheitas, de Inverno e de Natal.

Foi implementado e consolidado o Balcão de Informações do MTB, no sentido de verificar o perfil de consumidor, analisar o comportamento e satisfação do cliente, disponibilizar informações gerais ao público e divulgar campanhas e eventos.

Foi igualmente realizada a gestão de todo o processo relacionado com Media, nomeadamente a gravação de reportagens, realização de diretos e outros, bem como a assessoria de imprensa através da informação da agenda do MTB.

Em simultâneo foram iniciados processos relacionados com o futuro Mercado do Bolhão (MB), a implementar após as obras de restauro e modernização: Regulamento do Mercado do Bolhão; Normas de utilização do Mercado do Bolhão; Concursos públicos para aquisição de novos espaços (bancas, restaurantes e lojas).

Ainda integrado no programa Mercator, e reconhecendo a importância da revitalização do comércio local e tradicional e do seu papel relevante no plano cultural e de valorização do património histórico e das vivências tradicionais para a cidade, deu-se continuidade ao programa Porto de Tradição com a proteção e salvaguarda das entidades de interesse histórico, que pela sua atividade e património material ou imaterial, constituíram uma relevante referência cultural ou social para a cidade.

Em 2019 o Município reconheceu 10 estabelecimentos comerciais e uma entidade de interesse histórico, cultural ou social local, chegando assim a um reconhecimento total de 83 estabelecimentos comerciais e 2 entidades. Ainda neste ano, foi lançado o Fundo Municipal de Apoio aos Estabelecimentos e Entidades Reconhecidas ao Abrigo do Programa "Porto de Tradição". O Fundo no valor de mais de meio milhão de euros para a concessão, designadamente, de apoios para garantir a preservação e conservação das características que promoveram a classificação e reconhecimento enquanto lojas e/ou entidades históricas, a concretizar através de "investimento em obras de restauro, reabilitação do interior e fachada, adaptações obrigatórias ou manutenção de espólio e acervo". Abrange também a modernização e sustentabilidade dos estabelecimentos ou entidades, incluindo a aquisição de software e outros equipamentos de suporte à atividade e de segurança.

No domínio do Dinamismo económico implementou-se uma estratégia de revitalização sustentável do comércio de rua e da sua qualificação e desenvolvimento.
Criou-se a plataforma Shop in Porto, que permite, aos comerciantes registados, apresentar e promover o seu espaço comercial dando visibilidade ao seu negócio, aos residentes e visitantes da Cidade, consultar informação dinâmica do comércio de rua e ao Município, fazer o mapeamento do comércio da cidade. Lançada em novembro, teve, até final do ano, o registo de mais de 1.000 comerciantes. 

Para promover o desenvolvimento da relação dos comerciantes com o público, envolvê-los como parte integrante da promoção da marca Porto. e incentivar a competitividade dos seus negócios, deu-se continuidade, em 2019, ao plano de formação que afirma o papel primordial do Município junto dos comerciantes, como promotor de uma oferta qualificada, eficiente e eficaz. Ao longo do ano realizaram-se 389 horas de formação, com a participação de 653 formandos. As sessões de formação incidiram, entre outros, nos temas Coaching Profissional, Contabilidade e Fiscalidade, Gestão de Reclamações, Línguas, Regulamento Geral de Proteção de Dados, Empreendedorismo, Inovação e Competitividade nos Negócios.

A fechar este ciclo de formações, realizou-se o 2º PORTO.COM, que contou com a participação da comunidade envolvida e celebrou o impacto do programa no seu desenvolvimento.
Para dar resposta às exigências mais específicas deste setor deu-se continuidade ao projeto de Consultoria de Negócio: Check-up do seu Negócio. Neste âmbito, um conjunto de 10 comerciantes beneficiou de um acompanhamento personalizado, construído à medida das necessidades específicas de cada um, identificadas após análise de candidaturas, que lhes permitiu analisar a sua estratégia e impulsionar o seu negócio. Este projeto teve uma duração de 6 meses e abarcou as áreas de Vitrinismo, Atendimento ao Público, Gestão de Negócio e Gestão Digital do Cliente.

Com o objetivo de promover as ruas comerciais da cidade com necessidade de impulsionamento na afluência e tornar o comércio dessas ruas mais apelativo, levou-se a cabo a 3ª edição do projeto Lojas na Rua. Em 2019 foi escolhida a rua de Cedofeita, que foi decorada com uma instalação artística e onde, com o apoio de profissionais especializados na área do vitrinismo, os 57 estabelecimentos comerciais que aderiram à ação foram transpostos, de forma apelativa, para o exterior, promovendo os seus produtos e serviços.

Os Concursos de Montras estimularam, uma vez mais, o espírito criativo e de iniciativa dos comerciantes, promovendo o reconhecimento dos seus estabelecimentos. Ocorreram no São João (61 montras a concurso) e no Natal (112 montras a concurso), tendo gerado um efetivo envolvimento do comércio de rua nas ações, com notório impacto junto do público e dos órgãos de comunicação social.
Ainda para dar visibilidade e destaque ao comércio local e tradicional da Cidade foram distribuídos materiais promocionais temáticos, assentes na marca Porto.: papel de embrulho, fitas e sacos de papel para o Natal, autocolantes para eventos especiais (dia da mãe, dia do pai, dia dos namorados, Páscoa,?) e leques para o verão. O sucesso desta iniciativa está patente nos 1.236 levantamentos de materiais feitos pelos comerciantes, aos quais corresponderam 125.116 unidades.

No âmbito da dinamização económica e atração de investimento, a InvestPorto reforçou o apoio prestado a investidores e empresas com projetos de investimento no Porto, de forma a potenciar um ambiente de negócios local mais competitivo, dinâmico e inovador. Durante o ano de 2019 foram acompanhados 285 projetos de investimento privado, registando-se um aumento de 37% no número total de projetos apoiados face ao ano anterior.
Dos projetos apoiados, 28% corresponderam a novas intenções de investimento e 72% a projetos cujo acompanhamento se iniciou antes de 2019. Destaca-se o apoio prestado a 50 investimentos concretizados até ao fim de 2019 e a 60 projetos em fase de implementação, que no conjunto preveem criar mais de 8.620 postos de trabalho e investir um montante superior a 865 milhões de euros na região do Porto.

Continuou a acompanhar-se um grande número de investidores, com origem em 30 países distintos, revelando o crescente reconhecimento internacional do Porto enquanto localização de investimento. À semelhança do ano anterior, o investimento direto estrangeiro representou quase dois terços (63%) dos projetos acompanhados durante 2019. No total, foram apoiados 126 investimentos estrangeiros com origem no Espaço Económico Europeu, 106 investimentos domésticos (com origem em Portugal) e 53 investimentos estrangeiros com origem no resto do Mundo. França, Reino Unido, Alemanha, Estados Unidos da América e Espanha lideraram o ranking de origens externas, concentrando 58% dos projetos de investimento estrangeiro acompanhados.

A atividade investidora no Porto apresenta um elevado grau de especialização no setor terciário, com as atividades de comércio ou serviços a representarem 88% dos projetos de investimento apoiados em 2019. Os setores do imobiliário e das tecnologias de informação continuaram a liderar o portefólio de investimentos, representando mais de metade (56%) destes projetos. Soma-se um conjunto importante de investidores nos setores da energia, ambiente e mobilidade, turismo, retalho e distribuição, consultoria e formação, e business services, com destaque para atividades de serviços partilhados e de I&D.

Ao longo do ano, realizaram-se 351 reuniões de acompanhamento de projetos de investimento e de outras ações promovidas pela InvestPorto, incluindo 206 encontros com investidores. Este acompanhamento visa responder às necessidades de empresas e investidores nas diferentes fases do processo de investimento. A área de captação de investimento disponibiliza serviços de apoio a? localização empresarial, informação e business intelligence, agilização de processos de licenciamento e articulação institucional. Esta oferta é complementada pela área de aftercare, que atua junto de investidores e empresas numa fase pós-investimento, e pelos serviços de gestão de talento, que visam desenvolver as sinergias existentes entre a captação e retenção de talento na cidade e a dinamização do investimento e atividade económica local.

Em 2019, o apoio à localização empresarial voltou a liderar o ranking de serviços prestados mais frequentemente pela área de captação de investimento. Mais de metade (53%) dos projetos acompanhados solicitaram este tipo de serviço. Com base nos critérios definidos por cada investidor, foram apresentadas 253 propostas de espaços disponíveis na cidade do Porto para localização empresarial, na sequência das quais foram realizadas 21 visitas guiadas. Os espaços com áreas até 1.000 m2 foram os mais procurados, representando 42% das propostas de localização apresentadas. Esta procura foi gerada sobretudo por projetos no setor tecnológico, que tendem a preferir espaços modernos, flexíveis e centrais. Por outro lado, registou-se um aumento significativo da procura por espaços com área superior a 4.000 m2, cujo peso aumentou para 27% das propostas. Este aumento explica-se com a crescente procura de locais para a criação de espaços de co-working na cidade e também com um conjunto de projetos de expansão de empresas, nas áreas dos serviços partilhados e das tecnologias da informação, que já possuem operações na cidade ou região do Porto.

Os serviços de informação e business intelligence foram procurados por 39% dos projetos acompanhados em 2019. Em resposta, elaboraram-se 134 documentos com informação personalizada para apoio à decisão de investimento, incluindo dados sobre dinâmicas macroeconómicas e setoriais do Porto, vantagens competitivas da cidade, disponibilidade de talento e condições do mercado laboral, custos de operação, incentivos ao investimento, projetos estratégicos, entre outra informação relevante. Destaca-se a publicação do estudo "Porto & Northern Portugal: A Magnet for Investment", que reúne os resultados do trabalho desenvolvido com a EY, de análise às dinâmicas e perceções de 205 investidores internacionais sobre a atratividade da cidade do Porto e da Região Norte de Portugal enquanto destino de investimento.

Ainda no domínio da captação de investimento, a procura pelos serviços de agilização de processos de licenciamento duplicou face a 2018. No total, acompanharam-se 53 processos de licenciamento de atividades económicas através do serviço "Via Verde" de apoio ao investidor, facilitando a articulação com diversos serviços municipais de modo a acelerar a concretização de novos investimentos estratégicos para a cidade.

O desenvolvimento da área de aftercare reforçou a ideia junto dos investidores e das empresas que a sua presença no Porto é apreciada. Na proximidade estabelecida e na promoção de networking procurou-se focar no crescimento das empresas estabelecidas, contribuindo para a concretização de uma parceria institucional de longa duração, com o consequente crescimento económico da cidade. Nesse sentido, o aftercare desenvolveu uma relação de proximidade com 26 novas empresas, prosseguindo ainda o trabalho desenvolvido no ano anterior com as 27 entidades já contactadas.

Alargando a rede de trabalho e a articulação institucional, foram também estabelecidos contactos com entidades que permitiram promover atividades associadas às outras áreas de ação da InvestPorto (captação de investimento e gestão de talento) como é o caso, entre outros, das relações estabelecidas com o Bizkaya Talent, e com a Startup Lisboa no caso do benchmarking do projeto Launch in Lisbon.

Em 2019, o aftercare também garantiu a participação/organização em 18 eventos adstritos ao Pelouro da Economia, no âmbito da atividade desenvolvida pela InvestPorto. Destaca-se a participação e organização de eventos potenciadores do desenvolvimento profissional e do relacionamento institucional, nomeadamente com a participação em seminários no âmbito do talento e a organização da presença do Município em eventos como o QSP Summit, o ICPC - International Collegiate Programming Contest, o NOS Primavera Sound, a Conferência Porto Tech Hub, a FINDE.U e, nesse domínio, a organização da sessão de speed networking para mais de 20 empresas.

No âmbito da promoção do Talento, Emprego e Competências, o trabalho desenvolvido na Parceria Europeia Jobs and Skills in The Local Economy centrou-se, sobretudo, na implementação de dois subprojectos: o projeto piloto Lifelong Career Guidance e o Observatório de Talento do Porto. Desenvolvido em parceria com um vasto conjunto de agentes (tanto internos, como o Pelouro da Educação, como externos, por exemplo a FPCE da Universidade do Porto, o IEFP, e várias Escolas Básicas), o projeto Lifelong Career Guidance criou um modelo de intervenção de orientação vocacional ao longo da vida (modelo conceptual e materiais de apoio à intervenção) e implementou ações piloto em 3 grupos alvo: crianças do ensino básico, desempregados com mais de 45 anos e trainers. A avaliação dos resultados do projeto em 2019 destaca o envolvimento de mais de 200 participantes (crianças, desempregados, empresas), 76% dos quais recomendariam fortemente o projeto e a robustez da metodologia de intervenção. No âmbito do Observatório de Talento do Porto foi desenhado o modelo conceptual, definidos os requerimentos e desenho funcional da plataforma tecnológica desenvolvida em parceria com a PwC, bem como os indicadores a incluir. Destaca-se, ainda, a representação da ação Porto Talent Office em duas reuniões internacionais: Atenas e Bruxelas.

No campo da Cooperação e Relações Económicas Internacionais, promoveu-se a representação do Município em 96 iniciativas de networking, eventos e missões internacionais. Estas atividades permitiram consolidar o posicionamento estratégico do Porto junto dos grandes investidores internacionais, colocando em destaque as vantagens e oportunidades de investimento na cidade. Salienta-se a organização da primeira participação da cidade do Porto no MIPIM 2019 (em Cannes, França) e na EXPO REAL 2019 (em Munique, Alemanha), duas das mais importantes feiras mundiais do setor imobiliário. A presença do Município nestas duas feiras contou com um stand próprio, um painel de discussão e 18 representações de empresas do Porto, que puderam beneficiar da exposição acrescida gerada pela marca Porto. No MIPIM 2019, destaca-se ainda a distinção do Porto com os prémios de "Incentivos" e "Projetos Vencedores" atribuídos pelo fDi Intelligence/Financial Times durante a cerimónia de entrega dos fDi Strategy Awards 2019.

No programa de Desenvolvimento social e no âmbito da economia procedeu-se à gestão das feiras e mercados urbanos da cidade, assegurando-se a articulação com os diversos serviços municipais e entidades externas envolvidos nestas atividades.

Em 2019, a estratégia definida passou por modernizar, sistematizar e agilizar o funcionamento das feiras e dos mercados através de medidas, ações e parcerias que confluíram para a sua qualificação, organização, e gestão.
Das sete feiras e dois mercados geridos pelo Município, quatro estão localizados na zona oriental da cidade (Feira de Antiguidades e Velharias, Feira de Vandoma, Feira do Cerco e Mercado do Covelo), quatro na zona histórica/centro (Feira dos Passarinhos, Feira de Numismática e Filatelia, Feira de Artesanato de Santa Catarina e Mercado da Ribeira), e uma na zona ocidental (Feira da Pasteleira). Em 2019 o Município passou também a apoiar os mercados que estavam anteriormente sob a responsabilidade da empresa municipal Ágora (Mercado de Artesanato do Porto, Mercadinho da Ribeira, Mercadinho da Sé, Mercado da Alegria, Mercadinho dos Clérigos, Market Place, Urban Market, Família Sai à Rua, Pink Market, Flea Market e Mercado PortoBelo) e apoiou ainda a realização de dois Mercados de Natal, na Praça da Batalha e no Largo Sto Ildefonso / Praça dos Poveiros.
Para além da gestão corrente da atividade destas feiras e mercados, procedeu-se, neste ano, à regularização da Feira da Pasteleira, que funcionava há anos de forma autónoma, realizando-se a sua relocalização e regulamentação. Foi, também, alterado o regulamento da Feira de Vandoma e deu-se início aos procedimentos para alteração dos regulamentos da Feira dos Passarinhos e da Feira de Santa Catarina e de reconversão do Mercado do Covelo.