Enquadramento macroeconómico

A atividade económica mundial que tinha desacelerado em 2018 abrandou ainda mais na primeira metade de 2019 e os indicadores apontam para a manutenção de um ritmo de crescimento moderado na segunda metade do ano. O crescimento do PIB mundial deverá reduzir-se de 3,6% em 2018 para 2,7% em 2019 (1), uma das mais baixas taxas de crescimento observadas desde a crise financeira internacional.


As taxas de juro de curto prazo (Euribor a 3 meses) mantem-se em níveis historicamente baixos. Em 2019 situou-se em - 0,4% contra os -0,3% em 2018.


Em Portugal, as previsões do Banco de Portugal e do Instituto Nacional de Estatística, para o 4º trimestre de 2019, apontam para que o PIB tenha um crescimento homólogo real de 2,2% (2) (menos 0,2 p.p. que no ano anterior). O consumo privado cresceu 2,3%, desacelerando 0,8 p.p. face a 2018. (1) O consumo público cresceu 0,8% menos 0,1 p.p. que no período homólogo (1). 

____________________________________________________________
(1) Boletim Económico Banco de Portugal dezembro de 2019, pág. 10 e março de 2020, pág. 13
(2) Boletim Económico Banco de Portugal e INE março de 2020, pág. 9

A taxa de desemprego relativa a 2019 fixou-se em 6,5%, menos 0,5 p.p. do que em 2018, com o emprego a crescer 0,8% (1).

O Índice Harmonizado de Preços no Consumidor foi de 0,3% registando uma redução face a 2018, ano em que se fixou em 1,2% (1).