<span>Visitas Virtuais</span>
Da SuperBock à Porto Editora e de Shenzhen a Campanhã todos querem ajudar o Hospital Porto.
Depois da Câmara do Porto ter sido a primeira a tomar medidas restritivas e a ter implementado um centro de rastreio COVID-19 móvel em Portugal, muitas foram as empresas e os particulares que quiseram contribuir para os projetos em curso por iniciativa da autarquia. Do alargamento ao acolhimento de cidadãos sem-abrigo ao apoio prestado aos lares e IPSS da cidade; do fornecimento de equipamentos hospitalares aos hospitais (como ventiladores), ao rastreio completo aos lares, muitos são os processo em curso, lançados por iniciativa da Câmara mas com diversos apoios institucionais e privados.

= TODAS AS IMAGENS SÃO DA PRESENTE CAMPANHA =

Um dos mais complexos é o Hospital de Campanha Porto., montado pela Câmara do Porto no Super Bock Arena - Pavilhão Rosa Mota e que esta semana começou a funcionar. Capaz de receber até 320 doentes COVID-19, trata-se de um verdadeiro hospital montado em apenas 17 dias pela autarquia, mas com o apoio de muitas empresas, instituições e até pessoas anónimas.

A RTP abriu a antena para uma campanha nacional de angariação de fundos através de chamadas telefónicas, que ultrapassou os 300 mil euros, mas muitos têm preferido fazer depósitos na conta criada pela Câmara para o efeito e cujo IBAN é o PT50 078101129112000018026. Entre os donativos em dinheiro mais significativos que já deram entrada está um da Pincelaria Pardal, uma indústria de Campanhã, cuja família está ligada a diversos projetos culturais naquela zona da cidade. Mas há também a Pinto & Cruz, que os portuenses bem conhecem da "zona industrial" e muitos mais que, anonimamente, o fizeram no multibanco. No total, são já mais de 400 depósitos.

O Super Bock Group ofereceu ao hospital a instalação da rede de oxigénio, processo bastante oneroso e que aquela empresa do Porto que também patrocina o nome do pavilhão se disponibilizou de imediato a assumir e se encontra já instalado.

Vários doadores preferiram o fornecimento dos fundamentais equipamentos de segurança, entre os quais máscaras, fatos, toucas, óculos e viseiras ou luvas. Muitos desses equipamentos vieram do estrangeiro, importados por empresas como a Porto Editora ou a Gestifute de Jorge Mendes, outros de empresários e fundações chinesas, com quem a Câmara do Porto tem relações próximas ou que tiveram conhecimento do trabalho que estava a ser desenvolvido, como a Fosun ou a KNJ Investments. O magnata chinês Jack Ma, fundador da plataforma Alibaba, foi outro dos que contribuiu com equipamento hospitalar que, sendo mais específico, foi entregue pela Câmara do Porto aos hospitais de São João e Santo António, os dois que se servem e ajudaram a montar o hospital de campanha. Da comunidade chinesa concentrada numa associação designada CasaCascais vieram também outros equipamentos de proteção individual e, em tudo isto, o Porto contou sempre com a ajuda indispensável da Embaixada de Portugal em Pequim e do Governo de Macau e do seu representante em Lisboa e Bruxelas, o antigo secretário Alexis Tam.

Mas há ainda a contabilizar os lençóis, roupa e têxteis diversos da Lameirinho ou da Mundotêxtil; as viseiras oferecidas pela Baviera; os donativos à Câmara Municipal da mais avançada cidade chinesa, Shenzhen; os gelados da Häagen Dazs, o próprio pavilhão cedido pela Círculo de Cristal e a energia elétrica oferecida pela Galp.

A lista é impossível de detalhar toda e na íntegra numa notícia, merecendo destaque também o contributo inicial do Exército Português, que na primeira hora cedeu e ajudou a montar as camas; a IKEA que ofereceu móveis; o El Corte Inglés ou a Farmácia Porto; a Mercadona, o Banco Alimentar ou a Missão Continente; a La Perla ou a NOS e tantos outros que fazem respirar o hospital, em todas as suas valências e vertentes.

Mas não só no hospital. Se a Portugal chegaram já dez ventiladores inversivos para os hospitais de São João e Santo António foi graças ao esforço e oferta do transporte da Noatum Logistics, que os trouxe de Shenzhen, e se os 5 mil testes COVID-19 chegaram aos nossos lares, foi porque a NVending ajudou no seu transporte refrigerado até ao Porto. E se os nossos cidadãos sem-abrigo estão mais bem tratados no centro de acolhimento que lhes dedicados, é graças à Johnson & Johnson. E se as ruas estão mais limpas e desinfetadas, isso também se deve às Tintas Barbot. As ruas, onde hoje está bem visível uma campanha de sensibilização do Município, graças à JC Decaux, como nos transportes se deve à MOP.

E também os nossos idosos, a quem o Município dá retaguarda quando os seus lares não podem mais enfrentar os problemas que esta crise lhes trouxe, apenas têm lugares confortáveis onde encontram carinho graças à Movijovem e à Diocese do Porto, que cederam a Pousada da Juventude e o Seminário de Vilar, respetivamente.

E ainda os profissionais de saúde têm tido por parte dos empresários do turismo uma incrível manifestação de solidariedade. Diariamente, são centenas os quartos que ocupam em hotéis e alojamentos locais da cidade, para não terem que regressar a casa e pôr familiares em risco.

São intermináveis os apoios. Outras notícias como estas iremos fazer, porque gostamos que se saiba como se constrói a solidariedade no Porto, em torno de projetos sólidos, liderados pela autarquia, mas que só são realmente decisivos com estes contributos e doações.

Mas os verdadeiros heróis desta luta, são os que, além de tudo, dão o corpo às balas, como voluntários que aceitaram dar as suas horas e dias ao Hospital de Campanha, de médicos a enfermeiros ou a auxiliares, sempre com tantos e tantos funcionários da Câmara do Porto que nunca viraram as costas ao trabalho.

A todos, o Porto.pt deixa um MUITO OBRIGADO!


APOIOS E DOADORES CONTABILIZADOS ATÉ AO MOMENTO
(lista em construção)

ADA - Atelier de Arquitetura
AIMMAP
Arcopédico
Banco Alimentar
Baviera
Caffécel
Câmara Municipal de Shenzhen
Caravela SGPS - Häagen Dazs Portugal
CasaCascais - Comunidade chinesa
Castelbel
Círculo de Cristal
Could be Love
Delegação económica e comercial de Macau em Lisboa e EU
Diocese do Porto
El Corte Inglês
Empresa Vernissenza LDA
Época Móveis
Exército Português
Farmácia Porto
Flama
Fun-Addict
Fundação Fosun
Fundação Luso
Fundação Jack Ma
Galp
Gestifute
GO - Ginásio Online
Hovione
IKEA
Irmarfer
J.F Pereira confeções
JC Decaux
JODART - Móveis
Johnson & Johnson
Jordão
KNJ Investment Limited
La Perla
Lameirinho
Lasa
Logoplaste
Mafirol Grupo
Maria João Spratley
Metas
Mercadona
Missão Continente
MOP
Movijovem
MundoTêxtil
Noatum Logistics
NOS
NVending
Ordem de Malta
Paróquia Santa Maria Avioso
Pincelaria Pardal
Pinto e Cruz
Porto Editora
PSP
Qualquer Ideia
Rangel
Rickyparody
RTP
Sign
Sogrape
Studio Eduardo Aires
SuperBock Group
Telepizza
Tensai Indústria, S.A.
Tiago Augusto (Wk Life)
Tintas Barbot
Valis Pack
Vetor Predial Sociedade Imobiliária Lda
Vivalab
Vouguembal
Wock

CEDÊNCIA DE QUARTOS NA HOTELARIA

Alexandra Vale
Barbara Neiva
Bruno Filipe Ribeiro
Catherine Shaw
Dixo's Oporto Apartments
Dr. Luis Vaz Guedes
Horas Horiginais Unipessoal Lda.
Hotel ABC
Hotel da Música
Hotel Porto Palácio
Ivo Maio
Lovely Stay
Maria Cristina Freitas
Miguel Martins
Miguel Vieira
Paulo Neto
Pedro Magalhães
Plano de Fuga
Porta Azul
Porto DownTown Flats
Rui Pedro Pereira
Sónia Guimarães
The Porto Concierge
Tiago Guedes