<span>legislativas 2019</span>
Pormenor - Folha
Bischofias - Jardim Botânico do Porto

"A Quinta do Campo Alegre, atual Jardim Botânico pertencia no princípio do século XIX, ao médico francês Jean Pierre Salabert, sendo por isso chamada na altura de Quinta do Salabert. Esta foi-lhe confiscada em 1820, passando depois a ser propriedade de João José da Costa, mais tarde de Arnaldo Ribeiro Barbosa e a partir de 1875 de João da Silva Monteiro que foi quem iniciou a construção da casa e do jardim. A casa foi finalmente adquirida por João Henrique Andresen Júnior em 1895." (Andresen & Marques, 2001)

 

Esta quinta foi adquirida pelo Estado Português em 1930, sendo que aquando da construção da Ponte da Arrábida alguns dos seus terrenos foram cedidos para garantia dos respetivos acessos e construção do Centro Desportivo da Universidade do Porto.

 

A Karl Franz Koepp, arquiteto paisagista alemão, deve-se o traçado que ainda hoje marca o Jardim Botânico. Entre 1952 e 1967, os trabalhos liderados por Koepp envolveram, por exemplo, a limpeza e recuperação dos jardins existentes, o traçado de novos jardins, a construção de estufas e de um lago, a implantação de novos caminhos e a instalação de uma rede de rega semiautomática, sistema então pioneiro no Porto.

 

Este é um espaço onde se encontra, inevitavelmente, uma gama de espécies vegetais muito rica e variada, com raros e magníficos exemplares arbóreos. Destes, destacam-se três Bischofia javanica Blume, propostas para classificação, sobre as quais reconhecemos especial raridade, grande interesse botânico e portes muito consideráveis. A este reconhecimento de interesse acresce a disposição em grupo dos três exemplares, numa estrutura bastante equilibrada e sem sinais de fragilidade fitossanitária.

Bischofia javanica Blume
Publicação de classificação pendente
Jardim Botânico do Porto, Rua do Campo Alegre, n.º 1191
Não Municipais
Bischofia
22.96 - Valores médios
14.49 - Valores médios
5.04 - Valores médios
3.22 - Valores médios