<span>eleições legislativas 2019</span>
Pormenor - Tronco/Raízes aéreas
Metrosidero - Palácio de Cristal

A construção do Palácio de Cristal e seus jardins iniciou-se em 1860, sendo que em 1865 se realizou aí a primeira Exposição Internacional Portuense, com a qual se inaugurou o edifício principal - "Palácio de Cristal" - numa arquitetura de ferro muito em voga na altura e bem clara em várias outras estruturas construídas, como seja a torre Eiffel ou a Ponte Luiz I. Este jardim foi durante muitos anos o principal espaço verde da cidade, apesar da sua entrada franqueada. A sua longa avenida de tílias era, por excelência, o espaço de passeio e socialização da cidade, complementado pelo lago onde se realizavam passeios de barco.

 

O Palácio e seus jardins vieram a ser adquiridos pela Câmara Municipal do Porto em 1933 e em 1949, aquando do centenário da Associação Industrial Portuense, ficou decidido que se construiria um novo edifício, o "Pavilhão dos Desportos", atual Pavilhão Rosa Mota. Dos tempos áureos destes jardins, restam ainda algumas árvores notáveis como um Metrosideros excelsa, sito junto à biblioteca Almeida Garrett. Este, agora proposto para classificação, assume uma localização isolada, um porte admiravelmente natural, com a sua típica ramificação desde a base, abundantes raízes aéreas, uma floração anual bastante exuberante e ausência de qualquer conflito com estruturas adjacentes, sejam elas naturais ou construídas. Será, muito provavelmente, o exemplar da espécie com maior expressão individual na cidade. 

Metrosideros excelsa Soland ex Gaert.
150 anos
D.R. n.º 53 / 2019, Série II de 2019-03-15 - Despacho (extrato) n.º 2794 / 2019 / Exemplar isolado
Rua D. Manuel II, Palácio de Cristal
Municipal
Metrosidero
16.3
23.13
7.6
2.79